O ícone do funk carioca Tati Quebra Barraco completa duas décadas de carreira e está prestes a subir ao palco do Rock In Rio no próximo mês. Seu último single fora “Mamãe da Putaria” com a também carioca MC Carol e o grupo Heavy Baile – com quem irá dividir o show no Espaço Favela do festival. Em entrevista ao Observatório da Música, Tati faz um balanço sobre a sua trajetória no funk e comenta o sucesso de Anitta e a homenagem póstuma da cantora ao Mr Catra.

Tati, você já possui 22 anos de carreira como MC. Por acaso, em algum momento você pensou em desistir ou migrar para outra área?

Eu nunca pensei em desistir. Nunca. Eu acredito que Deus só nos entrega o que a gente pode suportar. Ninguém passa nada a toa e eu vivo disse, né. Antes de cantar eu era cozinheira numa escola. Além da música eu tenho um loja virtual onde vendo body e acabo de inaugurar o QuebraTati Bronze.

Do primeiro hit, “Dako é Bom”, o que você e o ritmo conquistaram?

A minha primeira música na verdade foi “Me chama de Cachorra (que eu faço au au)”. “Dako é Bom” saiu em 2006 no disco Boladona. Foi um sucesso mas eu já passei por tantas coisas boas. Ganhei muitas coisas boas. Graças a Deus!


Você fica chateada quando mídias chamam Anitta ou outras cantoras que estão em ascensão – agora – de “rainha do funk”? Esse título rainha lhe sobe à cabeça ou é indiferente?

Eu não fico chateada não porque o meu título de rainha do funk quem me dá é o meu público, né. Eles é quem me consagram rainha do funk. E por que não todas serem rainhas, né? Cada uma é merecedora do seu trabalho e estamos todas trabalhando.

VEJA TAMBÉM: “Nunca fui do pop” revela Valesca Popozuda ao lançar seu novo clipe “Fada Madrinha”

Eu acredito que você é o único nome do funk que não se vendeu ou bebeu de outras fontes. Você continua com o seu palavreado afiado e explícito. Você não pensa em tornar-se mais radiofônica? Você não pretende lançar single para as rádios sem ter de sofrer censuras?


Na verdade eu sou uma funkeira de raiz. Mas nós sempre experimentamos coisas novas, né. A música “Boladona” por exemplo é diferente do que eu sempre fiz mas se encaixou muito bem e foi um sucesso. Nós podemos tentar coisas novas mas eu não perco a minha essência que é o tamborzão, o voltmix e agora o 150 né.

Você e MC Carol se consagrarão como as primeiras MCs no Rock In Rio do Brasil. O que você pode nos falar sobre o show?

Olha do Rock in Rio eu não posso falar nada ainda. Nós vamos começar os ensaios agora.

Muitos criticaram o Rock In Rio por ter criar o “Espaço Favela” – o que poderia acabar glamorizando o cotidiano do morador da comunidade – qual é a sua visão sobre?

A maioria dos artistas que vivem no Brasil saíram da comunidade e pra gente é muito bom. Poder levantar a nossa bandeira da comunidade e levar para diversos palcos é muito bom. Pelo menos pra mim está sendo maravilhoso. Eu já cantei numa música minha inclusive “Da CDD pro mundo” e foi né? E se Deus quiser sempre será!

Até o dia 27 de Setembro, você e MC Carol lançarão uma nova faixa para apresentarem juntas no Rock In Rio?
Não, nós iremos cantar “Mamãe da Putaria” que é o nosso hit atual!

Você já ouvir a música que Anitta fez com Cardi B e vocais do Mr Catra? O que achou dessa homenagem?

Eu ainda não ouvi nada. Mas se tratando do Mr Catra sempre é bom. Eu mesma tenho o Catra como o meu mentor do funk. Com certeza vai dar bom!

Tati Quebra Barraco subirá ao palco do Rock In Rio pela primeira vez em sua carreira no dia 27 de Setembro no Espaço Favela – palco interativo e também inédito no festival de Roberto Medina.