caetano veloso daniela mercury
(FOTO: Reprodução)

A baiana Daniela Mercury divulgou nesta terça-feira (dia 5), o clipe da faixa “Proibido o Carnaval”, seu mais novo single lançado recentemente em colaboração com Caetano Veloso. Com muitas cores, o vídeo faz uma crítica direta ao atual governo de Jair Bolsonaro.

Na produção, atores são mostrados se livrando de capas azuis e rosas. O conceito faz uma clara alusão à frase da ministra Damares Alves em seu discurso de posse, quando afirmou que “Meninos usam azul e meninas usam rosa”.

A referência também é utilizada através de sequências em que Daniela aparece numa banheira com bolas azuis, enquanto Caetano surge com rosas. Com a chegada do carnaval, o clipe mostra casais de diversas sexualidades curtindo um clima de festa.

VEJA TAMBÉM: Pabllo Vittar lançará EP internacional com parcerias gringas

Ao fim do clipe, Daniela Mercury dedica o vídeo a Jean Wyllys, que renunciou o cargo de deputado federal recentemente. “Dedico esse vídeoclipe ao meu amigo amado e incansável guerreiro Jean Wyllys. Estamos te esperando de volta: o carnaval não está proibido! Axé!”, diz a baiana.

Assista abaixo:

Já a letra da canção conta com uma provocação direta a Damares Alves: “Vai de rosa ou vai de azul?”, em referência a polêmica fala da atual ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Em outros momentos, a canção ainda se mostra mais politizada ao abordar a censura. “Abra a porta desse armário / que não tem censura pra me segurar”, diz um dos versos, assim como no refrão repetido algumas vezes que “Tá proibido o carnaval / Neste país tropical”.

A participação de Caetano na faixa, portanto, não foi por acaso. Daniela Mercury revelou em suas redes sociais, que enquanto compunha a música, pensou diversas vezes no cantor baiano. Em suas redes sociais, a Rainha do Axé agradeceu a participação do músico. Vale lembrar que na década de 60, Caetano Veloso foi uma vítima da censura na época da ditadura militar por causa do estilo contestador das letras de sua canção.