caetano veloso daniela mercury
(FOTO: Reprodução)

O clipe de “Proibido o Carnaval” de Daniela Mercury, com a participação do baiano Caetano Veloso, vem causando grande repercussão na web. Comemorando a diversidade brasileira, a letra menciona a liberdade de expressão e ironiza a fala da Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que “meninas de rosa e meninos de azul”.

VEJA TAMBÉM: Drake critica Grammy em seu discurso de vitória; confira os vencedores

Na composição, Daniela e Caetano cantam: “Quilombola, tupinambá, o corpo é meu, ninguém toca, vatapá, caruru, iemanjá lá no sul, vai de rosa ou vai de azul?”.

Por causa disso, internautas de perfil mais conservador e apoiadores do presidente Bolsonaro, criticam os artistas com os argumentos de: “É muito fácil levantar bandeiras de minorias com bastante dinheiro no bolso! Morando em Ipanema (no segundo apartamento mais caro do país) esquerda caviar!! Vem pra baixada Caê e Dani! (…) Aí quero ver vocês se preocuparem com o Carnaval! Parem de mamar na lei Rouanet!”.

VEJA TAMBÉM: Pabllo Vittar cantará em prestigiada boate de Londres

Vale ressaltar que muitos internautas estão defendendo o vídeo também: “Que a mensagem de “Proibido o Carnaval” tome conta de nossas ruas nessa grande folia que toma conta do nosso Brasil, trazendo alegria, boas energias e muita disposição para a luta contra toda intolerância e ódio. Estejamos, como diz a música, vestidos de rebeldia, provocando a fantasia. Que venha o carnaval!”.

Daniela Mercury, inclusive, chegou a fazer uma postagem no Instagram criticando a onda de deslikes, que até o momento da publicação dessa nota está com 342 mil deslikes, contra 114 mil likes.