Drake
O rapper canadense Drake (FOTO: Divulgação)

Segundo documentos judiciais obtidos pelo site The Blast, uma mulher chamada Amanda Giovacco teria entrado com uma ação na Justiça contra Drake. A mulher também teria entrado com uma ação contra o Madison Square Garden, contra um funcionário chamado Joseph Picco e a Live Nation Worldwide.

Amanda afirma que, enquanto estava no show, do rapper acabou sendo “violentamente atingida por uma garrafa de cerveja que foi jogada enquanto assistia à apresentação”. Seu depoimento alega que os réus não tinham segurança adequada no local e que o estabelecimento negligentemente serviu “quantidades excessivas de álcool” aos frequentadores. A ré alega ainda que impropriamente foi fornecida cerveja em garrafas de vidro em vez de copos de plástico, segundo documentos judiciais.

VEJA TAMBÉM: “Foi muito especial” afirma Anitta sobre antiga amizade com Pabllo Vittar

Além disso, os responsáveis pelo espetáculo não conseguiram controlar a multidão “ruidosa”, enquanto “eles sabiam que Drake tem uma história de violência em seus shows”, alegam os documentos do processo.

Amanda acabou “sofrendo uma lesão cerebral traumática e convulsões”, ambas “impedindo-lhe de frequentar a escola de medicina”, aponta o processo. O advogado de Giovacco, Joseph Napoli, declarou: “Madison Square Garden, o promotor e Drake deveriam ter impedido que garrafas entrassem ou circulassem dentro do prédio e fossem jogadas em um show. Seu futuro agora é precário“.

Os representantes do Madison Square Garden, da Live Nation e do rapper canadense Drake ainda não comentaram o caso.