michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução)

Dez anos depois, Michael Jackson continua rendendo assunto na mídia por motivos ás vezes bastante delicados. Agora o nome do cantor está envolvido em uma nova polêmica depois de uma ex-assessora, que trabalhou com ele por 8 anos, organizar uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (dia 22).

A ex-funcionária, chamada Raymone Bain, declarou que o Rei do Pop teria deixado um testamento secreto com exigências para a manutenção de sua imagem e legado. A antiga assessora acusou os familiares de Michael Jackson de ignorarem o documento.

“Esse homem vem sendo uma vítima desde a sua morte, uma vítima em diversas ocasiões e chegou a hora disso parar. A vontade de Michael Jackson será descoberta. Ele delineou como queria que seu legado fosse preservado e mantido. Eu não tenho o documento, não sei onde ele está. Esperei e rezei para que o testamento, datado em 2006, fosse encontrado. Porque nele, Michael esboçou como queria que seu legado fosse preservado”, declarou Raymone.

VEJA TAMBÉM: Após polêmica, Zé Neto e Cristiano são substituídos por Simone e Simaria como embaixadores do Peão de Barretos

A ex-funcionária mencionou, ainda, o nome do presidente Donald Trump, declarando que Michael Jackson era muito amigo dele e pedindo por sua ajuda. “Adoraria ter a oportunidade de pedir ao presidente que me ajude a encontrar o testamento. Michael o considerava um grande amigo e me disse em diversas ocasiões que o senhor Trump era uma das pouquíssimas pessoas que nunca viraram as costas para ele e que esteve lá para ajudá-lo durante seu julgamento”, afirmou.

Raymone Bain anunciou também que possui planos para criar uma instituição de caridade sem ligação com a família ou com o espólio de Jackson. A ideia seria defender a honra e divulgar o legado do artista depois das inúmeras polêmicas que surgiram após o lançamento do documentário ‘Leaving Neverland’, pela HBO.

Ela declarou que a ‘Michael Jackson Legacy Foundation’ buscará arrecadar dinheiro para causas de caridade e direitos humanos que o astro apoiou durante a vida, incluindo os direitos civis de afro-americanos.

Em resposta, à coletiva de imprensa os representantes do espólio de Michael Jackson asseguraram que Raymone “não está autorizada a agir em nome do Espólio de Michael Jackson, nem a usar o nome de Michael Jackson de maneira nenhuma para fins caritativos ou seus próprios fins comerciais”. Um comunicado emitido afirma, ainda, que concorda com os comentários da assessora sobre ‘Leaving Neverland’ e também endossa o boicote à HBO.