marilia
A cantora goiana Marilia Mendonça (FOTO: Reprodução)

“Se estivéssemos pedindo dinheiro, eu entenderia. Agora: ei, quero valorizar o turismo na sua cidade trazendo um show grátis para a população, posso? Porta na cara! Não fazem e não deixam que façam! Ok. Aqui a luta não para”.

Essas foram as palavras da cantora sertaneja Marília Mendonça, de 24 anos, durante um desabafo em suas redes sociais sobre a turnê “Todos os Cantos”. No projeto, ela faz shows gratuitos passando pelas capitais do país. Porém um show, que seria realizado nesta segunda-feira (dia 21) em Vitória, no Espírito Santo, acabou sendo cancelado.

“O projeto ‘Todos os Cantos’ é feito todo de boas intenções, pena que não é valorizado por quem mais deveria valorizar: os próprios líderes da cidade e de Estado, que têm sua casa exposta e valorizada para o mundo todo e sem incentivozinho, hein?! Difícil!”, acrescentou a goiana.

A goiana chamou a atenção para o tema pois as apresentações precisam de autorização dos órgãos de seguranças e autoridades locais para ocorrerem. Um dos eventos aconteceu na praça da Estação, no Centro de Belo Horizonte, no último dia 7, e acabou gerando uma confusão com as autoridades locais. O evento na capital mineira contou com 46 registros de violência incluindo arrastões, várias pessoas ficaram feridas e um homem acabou sendo esfaqueado.

Depois algumas horas do show ser cancelado em Vitória, as postagens sumiram da conta de Marília Mendonça, que deixou apenas uma mensagem: “Sem lamentações. Vamos em frente”.

De acordo com o portal O Tempo, todo o rumor sobre o suposto cancelamento veio a tona depois de um repórter perguntar sobre o evento. “Amiga, que história é essa de show na Praça do Papa, em Vitória? Me diz que isso não é fake news por favor”, escreveu. E ela respondeu: “Só é porque não liberaram, vamos tentar de novo depois”, disse.

O diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento, Turismo e Inovação de Vitória (CDTIV) comentou o incidente. “Eles contactaram a PM com ofício pedindo apoio ao evento. Eles marcaram a reunião com o órgão de segurança, que levantou uma ressalva: por se tratar de um dia em que a gente inicia a recepção das delegações da Copa do Mundo FIFA Sub-17, eles entenderam que não dava para ter garantia de segurança de dois grandes eventos ao mesmo tempo”, declarou ao portal  “A Gazeta”.