gloria groove
A cantora paulistana Gloria Groove (FOTO: Reprodução)

Depois de um ano de grandes hits como “Coisa Boa” e “Yoyo” (ft. Iza), a drag Gloria Groove,  lançou na última terça-feira (12), seu novo EP, “Alegoria”. O álbum será o primeiro projeto audiovisual da artista e todas as 4 faixas do disco receberão videoclipes – “MIL GRAU”, “MAGENTA CA$H”, “SEDANAPO” e “A CAMINHADA” se transformarão todos em singles até o final do ano, segundo Gloria. “A narrativa de ALEGORIA não segue nenhuma cronologia, mas se destaca pelo fato de que tanto as faixas quanto os vídeos são um conjunto de metáforas”, explicou a cantora.

Abrindo a série de lançamentos visuais, o clipe do single “MIL GRAU”, composto por Gloria Groove, Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell já está no Youtube. Os demais lançamentos de Gloria precisarão ser desbloqueados pelo público em diversos desafios compartilhados nas redes sociais da drag. Cada um deles terá uma missão específica que os fãs precisaram acompanhar e realizar on e offline. Em entrevista ao Observatório da Música, Gloria Groove nos revelou o real significado por trás do nome “Alegoria” e ainda deixou escapar qual será o próximo single do disco. Confira:

Gloria todas as musicas, com exceção de “Sedanapo” são puro rap, hip hop e funk. Eu senti influencias até mesmo de TRAP no teu novo álbum. Esse EP traz o novo som que pretende fazer ou é mais uma era experimental sua?
Nossa, sim! Super teve TRAP nesse trabalho também. Então, eu gosto sempre de pensar que é uma nova era. Que cada trabalho é uma nova fase de experimentos. Apesar de isto ser até “difícil” para mim, pois eu durmo pensando em algo e acordo com outra, sabe? Mas especificamente sobre o “Alegoria” eu acredito que ele seja um saldo positivo desses meus 2 anos de Gloria Groove, tem a Gloria do pop, do funk, rap, pagode… Eu acho que o EP “Alegoria” fecha com chave de ouro tudo aquilo que eu já fui até agora. E em 2020 eu quero lançar algo ainda maior com mais uma vez, um novo eu para vocês.  

VEJA TAMBÉM: MC Gui é acusado de maltratar outra criança com câncer

Mana, tu deu o nome em “Magenta Cash” e eu ouso em dizer que essa faixa vai colocar o teu nome de vez no RAP NACIONAL. O qual importante é este ritmo para você? Das artistas queers do Brasil voce é a unica que abusa do ritmo.. o rap ainda é visto como o habitat dos manos no Brasil?  

Ah que legal! Bom saber que vocês estão gostando, “Magenta Cash” é o próximo single e vai receber um clipe lindo hein… Olha, eu cresci ouvindo rap, participando como expectador de batalhas de rap, no início não me sentia confortável o suficiente para participar mas eu sentia que aquilo ali era, eu sabe ? Eu era aceito sim, e esse ritmo falava sobre várias vivências, e vivências que se assemelham a minha… Eu tenho até um fato curioso quando o assunto é o rap/hip-hop. Aos 15 anos eu assitia muito a “Batalha dos Loko” em São Paulo, na Praça dos Loucos na Vila Formosa e depois eu tive a oportunidade e a honra de voltar para este lugar como GLORIA GROOVE e participar dessas rixas. Mas marcar o meu NOME NO RAP NACIONAl, eu acho que ainda é muito cedo. E aos poucos nos estamos conquistando nosso espaço, eu não acho que tenhamos essa separação entre os “manos” e as “manas” de forma tão grande entre nós artistas.


– “Mil Grau” abre os trabalhos de Alegoria com o elemento FOGO. Quais serão os demais elementos do álbum e qual é a mensagem que quer passar com essas metáforas? 

Na verdade, o álbum “Alegoria” não abordará os elementos da natureza. “Mil Grau” representa o FOGO, a letra nos traz metáforas sobre o inicio e o fim, a iniciação de algo… por isso usei e abusei desse conceito. Mas o EP, “Alegoria” é um conjunto de metáforas sobre a minha vida enquanto homossexual, artista queer e uma drag queen. Cada letra possui metáforas que falam sobre vivências pessoais minha. Deixa eu te contar uma coisa engraçada. Eu defini o nome desse meu novo EP através do Google (risos). Eu pesquisei e descobri que uma ALEGORIA é o conjunto de várias metáforas. E ALEGORIA diz tanto para nós ao mesmo tempo, não é ? Ser drag nos transforma numa alegoria, e colocar várias histórias minhas de forma conceitual é uma alegoria completa.